Comunidade, ambientalistas e gestores se unem contra grileiros no litoral do Piauí

 Comunidade, ambientalistas e gestores se unem contra grileiros no litoral do Piauí
Depois de diversas denúncias  feitas pelo ambientalista Dionísio Neto sobre crimes ambientais e grilagem de terras no litoral do Piauí, o Presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, Pedro Nogueira divulgou nota de repúdio as ações de Valdemar Rodrigues, Martha Ribeiro e Rafael Leite.
Dionísio se manifestou otimista nas redes sociais, acreditando que o apoio e a sensibilidade de gestores públicos e dirigentes classistas irão coibir a ação dos grileiros.
A repercussão das nossas denúncias está surtindo efeito na sociedade. Estou recebendo muitas denúncias da cidade de Cajueiro da Praia e estou torcendo muito para que o prefeito @feliperibeirocp consiga fazer uma ótima gestão diferente da gestão passada. Estamos aqui como voluntários para contribuir.
Queremos um olhar especial para aqueles moradores mais antigos que estão tendo suas terras invadidas, assim como a natureza que está sendo destruída. Agradecer ao @crecipi pela manifestação e esperamos mais apoios de outras instituições. #cajueirolegal”, disse Dionísio.
Nas redes sociais Lauriane Coelho também denuncia grileiros de terras no litoral piauiense.

“Só quem já passou por este tipo de injustiça sabe o tamanho da revolta que dá para sentir . Que seja feita justiça . A justiça no Piauí tem que fazer valerem as leis. 
Este trio grila terras e destrói o litoral do Piauí

O primeiro da lista se chama, Valdemar Rodrigues, ex-secretário de meio ambiente, filiado ao Partido Verde, vende terras sem documentos, inclusive em áreas ambientais.
Valdemar em 2019 foi um dos investigados pela polícia numa operação para desbaratar uma quadrilha criminosa atuando de forma ilegal no litoral.

A operação investiga organizações criminosas e aponta constituição de milícia contra a ordem tributária. Os investigados foram monitorados por meio de interceptação telefônica autorizada pela justiça. Valdemar continua a se achar acima da Lei mesmo com decisões judiciais que o impeçam de fazer qualquer atividade em área de Barra Grande, em Cajueiro da Praia – PI.

Não muito distante, a paulista Martha Ribeiro, que se diz corretora, vende de forma criminosa terras públicas e particulares na mesma área, localizada na Laguna de Santana – um belo braço de mar hoje muito explorado pelo turismo. Lá existem pousadas com diária de R$ 3.000,00 reais.
Martha faz parte também de organização sem CNPJ intitulada Chão Piauí, que usa uma maquiagem verde para facilitar a venda de terras e enganar compradores como áreas de um projeto social. Vários pontos da Laguna da Santana, que na verdade se trata também de um mangue, são vendidos por ela. São terras da União e particulares vendidas sem autorização dos mesmos.
O ICMBio e a Polícia Federal já deram despachos paralisando e mandando derrubar as obras construídas em áreas ambientais, mas a Secretaria do Patrimônio da União – SPU, parece conivente, dando Registros Patrimoniais chamados de RIP a terceiros, mesmo sem terem qualquer documento comprobatório da terra.

O corretor Rafael Leite também faz parte desse trio fantástico, que está enriquecendo vendendo terras da União e alheias. Diversas áreas, mesmo com embargos da justiça …” disse Lauriane.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *